quarta-feira, 30 de outubro de 2013

Não sejamos hipócritas

Desenhei um foguete na areia
para temos possibilidade de voar 
sempre que o vento estivesse a favor.

Já caminhei tanto
minhas pernas estão cansadas,
minha própria vida está cansada
ronda em mim ainda a mesma azia
pela existência desafortunada.

Passei o dia a olhar em volta
preciso voar para longe de mim
para longe de ti, do fim.

Se vamos fingir que seja
um fingimento profissional 
o mesmo que os poetas 
e os idiotas se utilizam.
não vamos ser hipócritas!


quinta-feira, 17 de outubro de 2013


domingo, 6 de outubro de 2013

Escolhas

Ei!
Tá tudo bem?
O que não se pode ver não se pode afirmar.
eu vejo tua face triste, mas o teu coração
não estar ao meu alcance.

Se tu es livre porque choras?
alguns pedaços da tua tristeza escorre mansamente
por entre as veias de tua vida deveras descontinuada.
Se tu queres porque não segues?
lembra-te sempre que das possibilidades
extraímos o sumo daquilo que pode vir a ser continuidade.


terça-feira, 1 de outubro de 2013

Sempre você



É sempre um prazer tê ver assim linda sem fim.
Mais nada acontece, não é? 
Somos desconfiados um do outro
Não queremos dar o braço a torcer
sei, vivemos tempos de pura confusão sentimental
é melhor deixar como está, sem mágoas.
e nesse silêncio de mim pra ti acabamos
tentados pela distâncias extrema
na solidão dos pensamentos lá outro cá.

É sempre um prazer tê ter por perto
se um dia eu te convidar pra sair 
é por que já não aguento mais pensar que não dar.
Estamos assim engasgados;
estamos aprisionando paixão;
estamos saindo pela contramão.
Mas eu sei, é essa coisa de relação confusa
de gostar agora é desgostar depois 
de viver agora é separar depois, tem razão
talvez o melhor é não nos precipitamos outra vez. 

É sempre um prazer te querer pra sempre.