quarta-feira, 30 de outubro de 2013

Não sejamos hipócritas

Desenhei um foguete na areia
para temos possibilidade de voar 
sempre que o vento estivesse a favor.

Já caminhei tanto
minhas pernas estão cansadas,
minha própria vida está cansada
ronda em mim ainda a mesma azia
pela existência desafortunada.

Passei o dia a olhar em volta
preciso voar para longe de mim
para longe de ti, do fim.

Se vamos fingir que seja
um fingimento profissional 
o mesmo que os poetas 
e os idiotas se utilizam.
não vamos ser hipócritas!


Nenhum comentário:

Postar um comentário