terça-feira, 3 de novembro de 2015

Mãe você está ai?

Mãe você está ai?
Ficaram para trás as doces lembranças
de um tempo também de resignação.
Pode ao menos me dizer porque não tenho saudades?
Porque estou bem sozinho e ao mesmo tempo tão
perto do vazio, com a necessidade imediata do outro?

Mãe se ainda estiver ai, se ouve meus prantos,
se compreende a minha distância de tudo, então
me perdoe, mas é que eu sou triste de berço.


quinta-feira, 22 de outubro de 2015

Teus versos



Entre teus versos e o vinho
teus versos
mesmo na sede insaciável.

Entre teus versos e as estrelas
teus versos
que iluminam meu sonhar taciturno.

Entre teus versos e as montanhas
teus versos
mesmo sendo montanha.

Entre teus versos e a estrada
teus versos
que me levam na longitude do teu caminhar.

Entre teus versos e o silêncio
ainda assim teus versos
que me constrói em profundo pensar.

Entre teus versos e a infinitude
teus versos
que habitam a profundidade do meu ser.

Entre teus versos
minhas escolhas
Entre minhas escolhas
teus versos.